por Vinicius Augusto Bozzo | Annecy, França

Começou o maior evento de cinema de animação do mundo e um dos mais importantes marcos para o segmento: Festival Internacional de Cinema de Animação de Annecy, na França. Durante 5 dias de evento, eu estarei aqui em Annecy, acompanhando tudo de perto em uma cobertura exclusiva do Cosmonerd. Dentro da coluna Animaland, vou compartilhar com vocês minha opinião sobre as mostras competitivas, sobre o que estou acompanhando por aqui além de entrevistas e matérias com os profissionais deste mercado tão aquecido.

Serão mais de 500 filmes exibidos entre as mostras competitivas e não competitivas, mostras especiais e muito mais. Além disso vamos ter muito Brasil por aqui. A edição deste ano homenageia os 100 anos da animação brasileira. É algo emocionante ver aqui, tão longe de casa nossa bandeira, tanta gente competente falando português.

Por falar em brasileiros, neste primeiro dia pude conversar com Alê Abreu, Carlos Saldanha, Zé Brandão e Cesar Coelho. Aliás, as signing sessions com Alê Abreu e Carlos Saldanha foi muito procurada, e eles atenderam cada um com a simpatia e o carisma de sempre. Rolou até uma ilustração de presente para o Cosmonerd.

“Eu estou muito feliz em estar aqui e poder compartilhar esse momento legal da animação brasileira. Estou vendo muitos amigos por aqui e isso mostra uma esperança de continuidade do crescimento do mercado Brasil” destacou Carlos Saldanha, indicado ao Oscar recentemente pela longa “O Touro Ferdinando”.

Já César Coelho, um dos diretores do Anima Mundi, nos disse em entrevista exclusiva “Essa homenagem é uma grande gesto de generosidade, companheirismo e cumplicidade, e, ao mesmo tempo, acho merecido. Nos últimos 10 anos a animação brasileira tem surpreendido o Brasil e o mundo. Aqui mesmo em Annecy, nos últimos 3 anos, a animação brasileira arrebatou os principais prêmios do festival. Isso é algo marcante.” Ele lembrou é claro que em julho tem Anima Mundi em São Paulo e no Rio de Janeiro e a gente vai dar cobertura também, é claro.

Neste primeiro dia de evento, pude acompanhar também uma das sessões da Mostra Competitiva de Curtas. Destaco a animação húngara “Marmeids e Rhinos” de Viktoria Traub. Uma história dramática familiar com traços e cores tão fortes que nos deixam conectados diretamente com a tela. Também gostei demais do curta de Gilles Cuvelier “Fool Time (Job)” que mostra seu personagem principal conquistando um emprego esquisito que dá uma boa remuneração. Assistindo refleti quase que imediatamente sobre os trabalhos que escolhemos e como por vezes optamos por algo que ninguém faria. Além disso, a estética diferente monocromática e personagens que tem faces com traços humanos mas longe do realismo nos coloca em igual patamar, para o exercício empírico e quase automático do espectador se colocar no lugar do protagonista.

Durante a noite a chuva atacou de vez, o que para nós que vivemos no nordeste adoramos ver. O frio se contrapôs ao calor do contato e da felicidade de poder ver de perto a animação brasileira fazendo história. Continue acompanhando a cobertura exclusiva do Cosmonerd nas redes sociais e também aqui na coluna Animaland.

Comentários