Material chegará ao Brasil ainda no começo de 2019

Editora Red Dragon Publisher irá trazer a versão italiana das HQs do Cimério Conan, obra máxima de Robert E. Howard. Os estúdio Leviathan Labs junto com a editora Weird Book, lançou lá fora algumas adaptações dos contos de Robert E. Howard de seu personagem mais conhecido e celebrado, Conan. E eis que algumas dessas edições vão chegar aqui no Brasil em 2019 pelas mãos da Editora Red Dragon Publisher.

Batemos um papo com o roteirista e editor, Alex Magnos que nos brindou com algumas informações sobre a versão Italiana do Climério de bronze.

Cosmonerd – Alex, como foi o processo de contatar os estúdio Leviathan Labs e a editora Weird Book para trazer essas novas adaptações aqui para terras Tupiniquins?

Alex Magnos –  Na verdade foi o pessoal do Leviathan Labs e Weird Book que me contatou em primeiro lugar, mas precisamente, foi Massimo Rosi, os dos proprietários do Leviathan Labs e diretor de arte da Weird Book. Rosi me contatou no início do ano, trocamos vários emails e o resultado foi um contrato de licenciamento importação / exportação de catálogos de Quadrinhos / Fumetti que beneficia conjuntamente o estúdio e ambas as editoras (Red Dragon e Weird Book). Fruto desse empreendimento, a Red Dragon já publicou do catálogo Weird Book: Ressonância, (HQ russa), Dark Frontier #1, cujo autor é Rosi, uma série de ficção pós-apocalíptica em 8 edições que estamos publicando quase simultaneamente com a Itália, o #2 já está em fase de impressão, e Graveland #1, série de ficção científica com pegada de super-herói, também com roteiros de Rosi, que também já está na impressão. Mas temos muito mais material do Leviathan Labs e Weird Book para lançar em 2019 e além. Em contrapartida, eles estão preparando uma edição italiana de Lochlann para 2019. Assim vamos seguindo com grandes planos para o futuro.

CosmoNerd – E quais serão as edições que a Red Dragon Publisher irá publicar?

Alex Magnos – Então, como o contrato entre Red Dragon e Leviathan Labs / Weird Book refere-se a catálogos, podemos publicar tudo que quisermos do catálogo deles, e realmente vamos publicar muita coisa, uma vez que tem muita coisa legal no catálogo! Por hora posso adiantar que estamos estudando lançar mais duas séries deles em 2019, estamos decidindo entre Morning Star, uma série bem legal que mexe com lendas e mitos religiosos, fenômenos paranormais, paganismo, templários, etc; The Blackening, ficção científica, cyberpunk, e Wrath of God, outra ótima série que aborda mitos religiosos. Já falando em Conan da Ciméria, certamente iremos publicar por aqui todos os volumes dessa série que os caras do Leviathan Labs estão desenvolvendo. O volume 1 que se chamará “A Espada do Rei” já está em fase de final de produção para ser lançado na Itália em Fevereiro, estamos trabalhando para lançar simultaneamente por aqui, ou mais tardar, um mês depois.

CosmoNerd – Essas edições, são mais baseadas nos contos de Robert E. Howard que as adaptações feitas pela Marvel em meados dos anos 80?

Alex Magnos – Na verdade não são adaptações dos textos de Howard, mas histórias novas e originais pegando ganchos em histórias escritas por Howard, mas não completamente. A série terá como pano de fundo um Conan já bem velho e cansado, depois de anos como o monarca da Aquilônia, entrementes ele reviverá diversos momentos de seu passado, lidando com velhos inimigos e antigas ameaças. Vejo esse como um projeto muito empolgante pois além de juntar Howard com novas ideias, o projeto distancia muito a personagem Conan do padrão estabelecido pela Marvel e, mais recentemente, pela Dark Horse. Outro fato que me faz gostar muito desse projeto italiano é que as histórias têm uma pegada bem adulta quando falamos em cenas de violência (afinal, estamos falando de Conan!) e cenas “quentes”, se entende o que quero dizer. Por fim, todos os envolvidos no projeto (roteiristas e desenhistas são fãs de Howard e Conan, então a série será um presente de fã para fã! Vem coisa boa aí, pode apostar!

CosmoNerd – Qual a importância de trazer essa visão europeia do Conan?

Alex Magnos – Acredito que seja importantíssimo essas novas e diferenciadas releituras ou reimaginação para Conan como os franceses vêm fazendo, agora os italianos do Leviathan Labs estão começando. Anteriormente existem dois visuais mainstream dados ao cimério e que maioria dos leitores estão acostumados, o primeiro se deve ao trabalho de L. Sprague de Camp, que sendo o editor responsável por revitalizar a criação de REH, foi quem trouxe e orientou Frank Frazetta a estabelecer um visual único e icônico para Conan na literatura para a partir dos anos 60. Alguns pensam que Frazetta simplesmente decidiu ilustrar Conan, mas não, foi de Camp que o trouxe o visual estabelecido para para Conan. O segundo visual popular é o estabelecido pela Marvel, principalmente pela arte do grande e saudoso John Buscema. Contudo, por mais memoráveis que esses visuais sejam, eles são diferentes do visual imaginado ou descrito por Howard, assim, não vejo nenhum problema em outros artistas emprestarem visuais diversos para o personagem. De fato, vejo essa iniciativa como muito saudável e cada vez mais a proporcionar uma expansão e divulgação da obra de Robert E. Howard, livre de grilhões de empresas que não têm nenhuma relação com o legado de Howard, e agora que grande parte da obra de REH está em domínio público, creio que quanto mais surgirem releituras ou materiais originais ligados a Conan e outros personagens melhor. Já que estamos falando sobre releituras de Conan, a Red Dragon tem planos para adaptar as aventuras de Conan originais escritas por Howard para graphic novel. A primeira será A Filha do Gigante do Gelo, com roteiro meu e arte do espetacular José Luís, que já desenhou Conan para a Dark Horse e tem feito um trabalho incrível para a DC em Suicide Squad. A ideia aqui é ser o mais fiel possível a Howard, sem cortes nem mudanças. O roteiro dessa primeira graphic novel já está quase terminado e a arte já deve começar a ser feita em Janeiro ou Fevereiro. Uma coisa posso garantir, uma vez que, tanto José Luís quanto eu, de longa data somos fãs declarados de Robert E. Howard, iremos dar o nosso melhor para que esse trabalho, além de muito fidedigno, seja uma grande homenagem ao criador e sua criatura. Não ficaremos por aí, juntamente com Conan, a Red Dragon está desenvolvendo planos também para adaptação de Rei Kull, Solomon Kane, Bran Mak Morn e outros personagens menos conhecidos criados por Robert E. Howard, alguns que nunca foram adaptados para quadrinhos.

CosmoNerd – Como será o lançamento dessas HQs? Planejamento, forma de publicação, formato?

Alex Magnos – Como já tem se tornado uma tradição neste ano, faremos o mesmo para Conan, teremos duas etapas de pré-venda, a primeira acontecerá no Catarse, com campanha a ser iniciada em Janeiro ou Fevereiro (simultaneamente ao lançamento na itália), a segunda no site da Red Dragon. Paras os pedidos em pré-venda, iremos oferecer brindes promocionais como pôsteres com artes da HQ, marca-página e possivelmente uma blusa com arte da HQ. Ainda estamos montando a edição, mas posso adiantar que terá em entre 86 a 100 páginas, entre quadrinhos e material extra. Estamos preparando duas versões do mesmo material, ou seja, uma edição em cores e outra em preto e branco. O formato será o americano, 17×26 cm.

CosmoNerd – Existem planos de publicar outros materiais do Robert além dessas adaptações dos mitos de Conan?

Alex Magnos – Sim! Na verdade, essa é uma perspectiva muito empolgante. O pessoal do Leviathan Labs já está trabalhando nos roteiros do volume 2 de sua série, então em 2020 teremos outra edição do Conan italiano por aqui. Quanto a material original da Red Dragon, como falei, além de Conan, Kull, Kane e Mak Morn, iremos trabalhar em Red Sonya, Cormac Frizgeoffrey, Turlogh Dubh, El Borak, Black Vulmea, Almuric e outros personagens, bem como em adaptação de contos de horror, western, pirataria, etc, escritos por Howard. A Red Dragon é uma casa para Howard desde o começo e iremos fazer jus a isso.

CosmoNerd – Quando elas serão lançadas?

Alex Magnos – Então, estamos planejando tudo isso. Para 2019, teremos o volume 1 da edição italiana em Fevereiro e, se tudo correr bem, nossa intenção é lançar A Filha do Gigante do Gelo na CCXP19.