Festival Internacional de Quadrinhos (FIQ) de Belo Horizonte acontece do dia 30 de maio a 3 de junho de 2018

Mobilizados pela conquista de um estande no Festival Internacional de Quadrinhos (FIQ) de Belo Horizonte, um grupo de artistas do segmento, no Amazonas, decidiu lançar uma publicação que fosse o “cartão de apresentação” da categoria. Foi assim que surgiu a Ajuri Comics, uma compilação de histórias de temas livres e diversos.

A revista e o FIQ uniram coletivos que até então estavam atuando de forma independente: C4, XMAO, Ilustrama, Clube dos Quadrinheiros de Manaus, Dois Traços, Ircomix e artistas independentes. No total são 22 artistas entre ilustradores e escritores (Bruna Paes, Bruno Cavalcante, Cézar “Quincas” Souza, Christofer Ferreira, Emerson Medina, Erick Rick, Eunuquis Aguiar, Evaldo Vasconcelos, Israel Gusmão, Izabelle Regina, Jahn Cardoso, Jucylande Júnior, Lorena de Souza, Lucas Vasconcelos, Luiz Andrade, Malika Dahil, Paulo Vitor, Rafael Rodrigues, Rayanne Cardoso, Romahs Mascarenhas, Valdenor Melki e diagramação de Gláucio Silva). O termo, ajuri, deriva do tupi-guarani e significa “mutirão”, reunião de pessoas com o intuito de colaborar em uma mesma atividade, geralmente relacionada com a agricultura.

A Ajuri Comics reúne, em 40 páginas, histórias de quatro páginas com temas que incluem distopias, terror, ficção científica, lendas amazônicas, humor e outros. A proposta inicial é que ela seja semestral. Tão logo acabe o Festival em Belo Horizonte, o grupo deverá iniciar o planejamento da próxima edição.

A revista estará à venda no estande do FIQ junto a outras publicações dos quadrinistas que irão para o evento. A iniciativa do estande e da revista contou com apoio da Secretaria de Estado da Cultura do Amazonas (SEC).

Comentários