HQ Nacional escrita por Alex Magnos e com a arte fabulosa de Gean Bandeira, apresenta o inicio de uma saga no melhor estilo “magia e feitiçaria”, em uma narrativa que agrada qualquer fã de Robert E. Howard

Narrativas cheias de mitos, vinganças, espadas reluzindo ao choque de um escudo, um herói surgindo. Isso e muito mais vocês encontrarão na HQ nacional escrita por Alex Magnos e magistralmente desenhada por Gean BandeiraCrônicas de Ghowndangard #1.

Acompanhamos o universo de Ghowndangard, uma terra ainda obscura em seu passado, onde vemos apenas um pequeno momento de sua trama. Já somos jogados em um momento que o Rei Baalrdomir está morto, assassinado pelo usurpador Bordenrath, o ambicioso irmão do Rei, que em um golpe o elimina e toma pose da coroa. Mas o Rei tinha um herdeiro, Donner, que foi salvo da morte certa por Vothgar, um alto general de Ghowndangard e detentor da antiga arte de forjar armas únicas e poderosas, um ferreiro guerreiro!

Neste primeiro número, a historia do ataque a Ghowndangard é mostrada apenas no fim da HQ, em uma especie de narrativa de algum antigo escriba, o texto é Espada e Dragões, onde não só o golpe do usurpador nos é contado, como também o passado mistico de Ghowndangard. Também vemos sobre a linhagem do futuro herói, chegando até Donner Therondor, herdeiro do sangue do Dragão.

Somos introduzidos neste universo através de um personagem muito cativante, o salvador do príncipe, general e ferreiro Vothgar, que criou escondido o pequeno herdeiro e ensinou a ele as técnicas da forja e luta. Vothgar é abordado por um pequeno contingente, que busca no esconderijo do velho general, o hoje crescido Donner, pois o usurpador nunca desistiu de caçar o sobrinho e dar fim em sua vida.

A HQ é repleta de poesia em sua narrativa, pois mostra o quanto Alex é filho da literatura de Robert E. Howard (criador do Conan). O que casa de forma magistral na narrativa visual de Gean, que contrapõe a poesia linguista do nosso escriba com um traço visceral e fluido. As cenas de lutas são um primor e Gean não esquece nenhum detalhe nas vestimentos dos personagens, mostrando o preciosismo de seu traço.

Há alguns pontos negativos como a questão da revisão de texto, que em alguns momentos deixou a desejar. A HQ é em preto e branco, o que para mim casa demais com a proposta do universo, mas a arte do Gean em determinados momentos pede cores, para que as cenas e os detalhes feitos pelo artista, sejam melhor apreciados, vide capa, que prova como as cores podem enriquecer a arte. Entendo as questões envoltas em uma publicação totalmente em cores, o aumento do custo. Não é algo que tira o prazer não, só seria um plus a mais.

Em uma aventura curta e bem apresentada por seu conto em texto que nos situa do que aconteceu, que funcionaria melhor no inicio da HQ, Crônicas de Ghowndangard #1 é a prova que temos grandes talentos da 9° em nosso país e nos deixa com aquela vontade de pular para o volume 2 e querer finalmente conhecer esse herói perdido.

Alex, junto com o seu selo Red Dragon, está em plena campanha no catarse com Crônicas de Ghowndangard Volume 1, que irá justamente resolver alguns pontos que coloquei aqui como negativos, trazendo cores à HQ, aumentando o numero de páginas e tendo uma melhor revisão. Vocês podem apoiar o projeto em:

https://www.catarse.me/ghowndangard_vol_1

Para adquirir Crônicas de Ghowndangard e outros trabalhos de Alex Magnos e do Gean Bandeira e muitos outros títulos, inclusive material europeu, acessem: https://www.reddragonpublisher.com/.

Comentários