“Em um conto mítico/histórico, somos apresentados a Lochlann: guerreiro meio homem, meio Deus e sua jornada de abdicação em nome de algo que acabou ficando perdido em seu novo nascimento..”

Uma das grandes vantagens em eventos como a CCXP, é ter acesso direto a artistas que estão apresentando seus trabalhos e mostrando que o mercado de quadrinhos brasileiros está mais que aquecido. Na verdade, ele vive um maravilhoso momento de pura criatividade. Onde guerreiros dos roteiros e penas estão tirando conceitos e ideias bem curiosas e com mundos bem ricos em suas narrativas.

Tive o prazer de conhecer pessoalmente o roteirista Alex Magnos e ter contato direto com sua obra, que já falamos aqui no CosmoNerd: Lochlann – Guerreiro do Crepúsculo Negro: Volume I.

Em um mundo extremamente rico e cheio de grandes potenciais de expansão histórica, Alex nos apresenta seu herói mítico, Lochlann. O filho de um Deus que decide abandonar seu posto, pois busca algo mais, algo que nem guerra nem riquezas poderiam lhe trazer.

Neste primeiro volume, somos recebidos no mundo criado por Alex com um belíssimo prologo, mostrando o Guerreiro Lochlann e um ser gigante, paramentado de armadura completa, usando um elmo que esconde grande parte do seu rosto. Um Deus melancólico e entristecido pela decisão do protagonista em abandonar tudo e se jogar ao mar, em um novo nascimento que pode lhe custar muito mais que nosso herói poderia imaginar.

Tal prólogo, magistralmente ilustrado e colorizado por Marcio Freire, funciona perfeitamente como um vislumbre dos rumos da HQ além de ser uma boa forma de ser recebido neste universo.

Após o nascimento do guerreiro Celta, seguimos com a história em “O estranho vindo do mar”. O recomeço pode ser duro e tomar um alto preço. Neste ponto, somos apresentados a Ard Tiarna Callahan, Senhor dos Laochra Ársa, em uma situação extremamente complicada para o líder desse clã. Aqui, Lochlann mostra todo o seu valor e pericia ao salvar Callahan, tornando-se logo de imediato alguém a se temer e querer do seu lado em uma batalha.

Nesta história introdutória, somos apresentados a este universo em uma narrativa mítica, onde as possibilidades são vastas e os personagens preenchem as páginas de uma forma bem clássica.

Os roteiros de Alex seguem uma narrativa bem fincada nos pais do gênero capa e espada, como Robert E. Howard, onde mesmo tendo o recurso da imagem, existe a informação em texto, trazendo um certa poesia que não se encontra mais nos dias de hoje. O prólogo ilustrado e colorido por Marcio Freire, nos apresentada uma arte mais épica e sombria, com traços divinos para os dois personagens da trama.

Na sequência, somos apresentados a arte de Gean Bandeira, que tem uma pegada bem sanguinária, afinal, os roteiros pedem. Mas os olhos dos personagens em alguns momentos não me passaram uma fluidez e as vezes falham em representar a verdadeira intenção de cada um em cena. Em determinadas situações, senti uma certa falta de linearidade e fluidez com a expressão e a simetria do rosto, mas nada que comprometa a narrativa visual, que é bem fluida nos momentos de ação.

Também senti falta de personagens femininos na trama, coisa que segundo o autor, será sanada nos próximos volumes. Afinal, esse é um conto introdutório e ainda não chegamos no momento de conhecer as mulheres que envolvem esse universo e a trama criada por nosso escriba.

A capa é um deleite a parte. Ela tem um belíssimo acabamento, o que só faz destacar a arte espetacular de José Luís, que já trabalhou para grandes editoras como a DC Comics, Top Cow e Dark Horse, onde desenhou uma história com um dos meus personagens favoritos, Conan.

Os materiais extras também são bem ricos, com galeria de artes e textos que ampliam a experiência de ler a HQ. Publicada primeiro lá fora, desbravando mercados gringos pelo selo Red Dragon Comics, também criado por Alex Magnos, Lochlann – Guerreiro do Crepúsculo Negro é uma agradável surpresa para os amantes do gênero e nos faz perceber como o mercado Brasileiro está cada vez mais sortido, com autores e artistas buscando mostrar suas ideias para o público e criar novos mitos para os amantes da 9º arte.

Quer conhecer mais trabalhos da Red Dragon Comics?

É só entrar em contato direto com o autor Alex Magnos em seu e-mail:

[email protected] ou no Site: www.alexmagnos.com.br.

Comentários