A mecânica de deck building geralmente entrega jogos muito parecidos, pois é um sistema engloba diversas características em comum, sendo difícil inovar nessa área. Mas Super Motherload, adaptação para boardgame de um jogo digital indie, consegue trazer o deck building misturado com um tile placement de forma simples mas interessante.

Em Super Motherload, cada jogador controla uma equipe de pilotos que precisa minerar Marte atrás dos seus minérios e mistérios. Como em todo deck building, você inicia com um deck inicial de pilotos e precisa conseguir minérios através de mineração e explosão do solo de marte para comprar mais cartas e melhorar seu deck.

No jogo,você possui 2 ações no seu turno que podem ser as seguintes:

Comprar cartas: Compre duas cartas do seu deck, o jogo não possui uma “fase de comprar cartas”, então usar uma das suas ações somente para comprar cartas incentiva os jogadores a pensar bem nas suas ações para não “perder” turnos só comprando cartas.

Perfurar: O jogador vai descartas uma ou mais cartas da mão da mesma cor para perfurar o solo de Marte. Quanto mais cartas maior o buraco. Essa ação incentiva os jogadores a montar um deck com uma cor específica.

Explodir: O jogador vai descartar uma carta vermelha e um marcador de bomba para explodir um esquema de quadrados bem no estilo Tetris que está descrito na carta.

O interessante dessas mecânicas diferentes de perfurar e explodir é quem existem espaços que só podem ser perfurados com as cartas de uma cor específica e outros que só podem ser explodidos, além dos mais comuns espaços livres. Isso gera um puzzle interessante na cabeça do jogador, pois ele vai ter que sempre otimizar o máximo possível o seu turno para conseguir perfurar o melhor lugar respeitando as regras.

Mas não só de perfurar Marte vive um homem, Super Motherload também possui os personagens de cores diferentes que dão poderes especiais quando comprados ou usados. É super importante que o jogador escolha bem quais comprar em qual momento para ir montando seu deck e também completar os objetivos globais do jogo. Existem outros objetivos mais simples que dão pontos caso o jogador faça coisas específicas, bem parecido com achievments de jogos digitais mesmo. Esses objetivos servem para dar um norte ao jogador do que fazer e qual caminho seguir, deixando o jogo menos tedioso.

A arte do jogo é um dos pontos fortes, apesar da caixa não ser tão interessante. Tanto as cartas de personagem, como os itens e tabuleiro são muito bem feitos em um estilo que remete mais a jogos de video-game, trazendo um ar de inovação para os jogos de tabuleiro. É tudo muito colorido e existem vários personagens diferentes com poderes que não variam tanto.

Super Motherload é um jogo simples que mistura mecânicas bem distintas. A estratégia do jogo não é muito complexa e entrega um jogo que é muito mais sobre aproveitar a situação no seu turno do que se planejar para rodadas à frente. Apesar de ser um grande quebra-cabeça lá pro final da partida, não traz decisões assim muito complexas, você pode jogar bem de boas toda a partida. Mas para aqueles que querem otimizar o seu turno, pode ser bem pesado em alguns momentos. Como Deck Building ele deixa a desejar, mas consegue introduzir outras mecânicas ao sistemas se tornando um jogo único.

Jogo: Super Motherload

Lançado no Brasil: Não
Número de Jogadores: 2-4
Duração: Aprox. 1h15m
Preço: Aprox. $49,00

Comentários