Toda a trama das Joias do Infinito e Thanos podem ser novos para os fãs do Universo Cinematográfico Marvel. Mas, para quem é dos quadrinhos, é uma história antiga e muito importante para o estabelecimento do universo de Stan Lee. Várias mídias já trataram sobre essa história e hoje vamos falar de um jogo de Super Nintendo que traz Thanos e os heróis mais poderosos da Terra em um embate em busca das Joias do Infinito.

Marvel Super Heroes in War of The Gems é um jogo de Super Nintendo de beat-‘em-up de plataforma lançado em 1996 pela Capcom, seu gameplay se assimila a jogos como X-Men Mutant Apocalypse ou Final Fight onde você usa seus personagens para sair metendo a porrada em inimigos enquanto avança nas fases.

Glen Fabry é um puta desenhista, mas olha a cara esquisita desse Hulk que ele fez pra capa americana do jogo.

O simples plot do jogo traz Adam Warlock convocando os principais heróis da Marvel para buscar as Joias do Infinito pela Terra enfrentar Thanos e seus capangas…e é só isso mesmo, antigamente você entrava na porrada sem muita enrolação.

Leia também: Vingadores: Guerra Infinita | Crítica

O jogo possui alguns aspectos legais e outros nem tanto. Você pode escolher qual herói vai para cada fase e cada um deles possui habilidades e aspectos diferentes. Por exemplo, Homem-Aranha é super rápido e pode subir nas paredes, mas seus golpes causam pouco dano. Já Hulk causa muito dano mas é lento e possui um corpo grande, sendo mais suscetível a ataques.

Mais a frente no jogo você pode balancear isso equipando as Joias do Infinito que você coleta enfrentando os chefes de fase. Cada joia vai melhorar atributos do seu personagem. A Joia do Tempo aumenta sua velocidade, a Joia do Poder aumenta seu dano, a da mente aumenta a chance de aparecer itens aumentando a percepção do seu personagem e assim adiante. Usando isso você pode fazer balanceamentos interessantes como deixar o Homem-Aranha mais forte ou o Hulk mais rápido para resolver os problemas que eu falei desses personagens ali atrás.

O jogo também possui um sistema de itens para recuperar a vida dos personagens que vieram de missões e ainda estão lascados e ressuscitar personagens mortos. Isso dá um ar de preocupação maior pois seus personagens não se recuperam automaticamente e não existem vidas infinitas. Existem também itens que servem para usar poderes especiais diferentes para cada personagem, mas mesmo olhando os comandos na internet esses poderes são muito difíceis de serem usados, mostrando que os controles do jogo poderiam ser melhores.

No quesito de arte, o jogo possui alguns sprites de personagens legais e cenários ok, mas tem alguns sprites bem ruins e toscos, como essa cara do Hulk. A movimentação do jogo é um pouco esquisita também, a maioria dos personagens são meio lentos e o combate não flui muito bem.

War of The Gems é um jogo muito preguiçoso em seu Level Design e desafios, as fases são sem graça e sem criatividade, mas algumas possuem caminhos alternativos que só podem ser acessados por personagens específicos, como o Homem de Ferro, que possui dois pulos. Isso gera uma jogabilidade legal pois você vai aprendendo qual personagem é melhor em qual fase e usando qual gema.

Por falar em preguiça, o aspecto do jogo que me dá mais asco é que todos os inimigos são versões Evil de personagens da Marvel já existentes. Você passa o jogo todo enfrentando versões malignas da Mulher-Hulk, Homem de Ferro, Demolidor, Gavião Arqueiro e outros. Os chefes são somente versões com mais life desses mesmos personagens e as lutas não são divertidas. Você aprende facilmente seus padrões e consegue vencê-los sem muito desafio. O mais difícil mesmo é conseguir chegar lá com um life decente.

Marvel Super Heroes in War of The Gems é um jogo muito curto (se souber o que fazer você pode terminar em menos de 2 horas) e preguiçoso em sua execução. Os inimigos são sem graça e as fases possuem um Level Design fraco. Mas, apesar disso, é uma boa diversão de porradaria utilizando personagens amados por nós e alguns outros mais obscuros no Universo Marvel, como Nebula e Blackheart. Se você quer um joguinho pra passar o tempo enquanto se prepara para Guerra Infinita, é uma boa pedida. Mas talvez eu esteja só me alimentando de nostalgia, pois é um jogo que fez muito parte da minha infância.

Comentários