Após o sucesso arrasador de Mulher-Maravilha, DC tenta retomar os rumos com o aguardado filme da Liga da Justiça. Mas será que a Warner tomou as melhores decisões até aqui?

A cada grande lançamento de um filme baseado em super-heróis, fica aquela leve ansiedade sobre o resultado final nas telas para personagens que tanto amamos, e a bola da vez é Liga da Justiça. Quando se trata dos projetos da Warner / DC, as coisas são ainda mais incertas: muita coisa mudou nos planos da empresa desde o lançamento de Homem de Aço, filme solo do Superman dono da difícil missão de introduzir nas telonas o mesmo sucesso financeiro e narrativo (através do conceito de universo expandido) alcançado pela Marvel Studios.

O filme, dirigido por Zack Snyder, agradou grande parte do público enquanto ganhou muitos críticos, devido a furos no roteiro e discordância de fãs em relação ao modo como Snyder trabalhou os conceitos do personagem. Alguns demorados anos depois, e tivemos a chegada de Batman Vs Superman: A Origem da Justiça, que escancarou de vez a polarização no mundo nerd adepto ao “Marvel contra DC” apresentando um filme incrivelmente mal editado. Briga tola, mas um reflexo de nossos tempos tanto na esfera política quanto social na internet. Esquadrão Suicida foi a beira do abismo para esse universo DC, mostrando como a liberdade criativa dada pela Warner a seus diretores não se aplicaria aos super-heróis. Finalmente, Mulher-Maravilha trouxe a tão necessária esperança de que as coisas poderiam ser melhores, com um filme de origem bastante convincente (com alguns defeitos, sim, mas não deixa de ser um mérito quando os defeitos são ofuscados pela qualidade da obra).

Problema?

Nenhum desses “problemas”, no entanto, deixaram de dar retorno financeiro para a Warner. BvS arrecadou US$ 872 milhões enquanto Esquadrão Suicida somou cerca de US$ 745 milhões em bilheteria. E o sucesso não para por aí: personagens como Arlequina e Mulher-Maravilha atingiram tanta popularidade que se tornaram decisão em praticamente metade dos cosplayers em eventos nerd como a CCXP, BGS etc. Mulher-Maravilha já se firmou como maior bilheteria para um filme de estreia nesse segmento, com US$ 821 milhões arrecadados.

Independente do resultado, Liga da Justiça será um caso à parte quando tratamos do processo de execução de um filme blockbuster. É normal refilmagens? Sim, mas aqui as coisas extrapolaram com cerca de US$ 300 milhões. Troca de diretor? Às vezes pode rolar, como no filme do Han Solo que chega em 2018, mas em Liga da Justiça essa troca aconteceu aos “45 do segundo tempo”, onde Zack Snyder (após tragédia familiar) se afastou para dar lugar a Joss Whedon. Incertezas sobre o futuro eram uma constante nos noticiários.

Está tão estranho que pode dar certo

Nesse momento, restou à Warner investir em seus maiores trunfos, que são seus heróis. E ela fez isso: com a chegada de Whedon, a ordem foi amarrar melhor o roteiro para dar mais sentido a algumas cenas de interação entre a equipe (especialidade do diretor aplicada em Os Vingadores de 2012), adotando um discurso de muito respeito ao diretor afastado. E quem somos nós para duvidar da capacidade de um dos responsáveis pelo sucesso do universo Marvel nos cinemas? Informações não confirmadas indicam, inclusive, que o diretor conseguiu remover gorduras existentes na primeira versão do filme, como o bizarro Lex Luthor e o ainda não mostrado Darkseid.

Para acrescentar, ainda há o Flash de Ezra Miller, já definido como o provável principal alívio cômico. O Aquaman de Jason Momoa não fica muito atrás, carregando consigo todo o sexy appeal do ator. O Superman de Henry Cavill já tem como certa sua presença no filme, e vai ser engraçado assistir o making of futuramente, para conferir as refilmagens quando o ator estava com o bigode. Vale lembrar que uma das poucas coisas que se salvaram em BvS foi o Batman de Ben Affleck, onde possui uma personalidade mais próxima com a do Homem Morcego escrito por Frank Miller em Batman: O Cavaleiro das Trevas.

Lobo da Estepe, o vilão de Liga da Justiça

O melhor de tudo é que Liga da Justiça não carrega uma responsabilidade tão grande quando o assunto é entregar uma trama complexa. O que esperar de um filme com diversos fantasiados onde ocorre uma invasão alienígena ao planeta Terra? Ora, muita ação, piadas, fan service, easter-eggs e muito respeito ao material de origem. Não precisava ter gastado tanto dinheiro assim, mas lembre-se de que esse dinheiro não é nosso.

Alguns depoimentos já apontam que Liga da Justiça atingiu qualidade parecida com Mulher-Maravilha e, caso isso se confirme, não será em vão: dentre as diversas demandas do estúdio para deixar o filme num formato mais agradável ao público, com certeza deve ter sido encomendado mais cenas com Diana (Gal Gadot). Os heróis da DC possuem uma abordagem diferente, inclusive nos filmes. Mais clássicos e com representações alegóricas, personagens como Mulher-Maravilha, Superman e Batman habitam o imaginário da cultura pop como divindades.

Publicidade
Loading...

Comentários