Millennium – Os Homens que Não Amavam as Mulheres é um ótimo filme de David Fincher que você, provavelmente, nunca assistiu. Conquistando os fãs, ainda que não indo tão bem assim nas bilheterias, logo uma sequência começou a ser cogitada. Rooney Mara, que estrelou o longa de 2011, até fez uma baita campanha ao longo do tempo, na esperança de tirar o projeto do papel. E talvez ela não tenha ficado feliz com o resultado de seus esforços.

Depois de muita enrolar, a Sony confirmou uma sequência para a franquia. Mas sem os retornos de Fincher, Daniel Craig e Rooney Mara. E o pior, ignorando o 2º e 3° livros da saga, pulando diretamente para o último: A Garota na Teia de Aranha. A granada caiu no colo de Fede Alvarez, justamente quando sua carreira em Hollywood começa a ganhar forma.

O uruguaio dirigiu o ótimo O Homem nas Trevas, mostrando que sabe muito bem como construir uma atmosfera de suspense. Mas, apesar de torcer por seu sucesso, é complicado enxergar essa notícia com bons olhos. Esse é o projeto com todos os ingredientes essenciais para não funcionar.

Ainda que Fede Alvarez tenha mostrado segurança ao comandar o remake de A Morte do Demônio, clássico de Sam Raimi, aqui ele terá que encarar toda uma base de fãs que contava os dias para o retorno de David Fincher. Sem falar nas inevitáveis comparações, ainda que ambos possuam estilos diferentes. Outro problema reside no material que será adaptado.

Fede Alvarez, Stephen Lang e Jane Levy durante as filmagens de O Homem nas Trevas

Embora seja considerado parte da saga, A Garota na Teia de Aranha não foi escrito por Stieg Larsson. A obra lançada pelas mãos de David Lagercrantz é quase uma homenagem póstuma a Stieg, que faleceu em 2004. Mas a trama não atinge o mesmo patamar dos demais livros, despertando assim o desprezo dos fãs. Muitas das criticas são direcionadas para a maneira como David tenta imitar o estilo de Larsson, falhando no processo.

Pular para o quarto livro da saga parece uma clara tentativa da Sony de desvencilhar o projeto de seu antecessor. Embora seja tratado como sequência, não é loucura chamar de reboot. O roteiro será escrito por Fede Alvarez, Steven Knight (Aliados) e Jay Basu (Metal Gear Solid). E terá que funcionar muito bem mesmo com essa lacuna de informações. Um desafio e tanto.

A ausência do trio de ferro de Millennium também é outro agravante. Rooney Mara entregou uma de suas melhores atuações, roubando a atenção em cada segundo do filme. Merecia uma oportunidade de retornar ao papel, algo que ela tanto desejou. Daniel Craig e David Fincher completam a engrenagem, com um encaixe perfeito. Notícias recentes apontam que Scarlett Johansson e Natalie Portman estão na lista para o papel principal. Scarlett até foi cogitada para o primeiro filme, assim como Alicia Vikander já flertou com a continuação anos atrás.

Rooney Mara esbanjando talento em Millenium – Os Homens que Não Amavam as Mulheres

A Sony escolheu mudar tudo para esse novo filme, confiando que as coisas serão diferentes. Mas esperança não faz bilheteria bombar e sabemos como o dinheiro comanda as ações em Hollywood. Parece que A Garota na Teia de Aranha não passará de uma dor de cabeça para Fede Alvarez, justo quando tudo corria bem. Só não vale atrapalhar a continuação de O Homem nas Trevas ou Stephen Lang ficará furioso…