Até o painel da Marvel no Hall H da San Diego Comic-Con, não haviam muitas informações substanciais sobre o filme solo da Capitã Marvel. Mas agora o cenário começou a mudar. O longa será ambientado nos anos 90, ou seja, muito antes de Thanos pensar em dar um passeio pela Terra. Sim, Samuel L. Jackson volta como Nick Fury (bem mais novo e com os dois olhos bons) e os Skrulls serão os vilões. E esse detalhe abre uma oportunidade extremamente interessante para o futuro da Marvel nos cinemas.

Os alienígenas metamorfos, criados por Stan Lee e Jack Kirby, apareceram pela primeira vez em Fantastic Four #2 de 1962. Na história, eles se passaram pelos membros do Quarteto Fantástico, tudo parte de um plano para derrotar a super família e conquistar o mundo. O que foi devidamente evitado, é claro. Isso coloca os Skrulls como pivôs de uma situação incomum envolvendo o contrato entre Fox e Marvel. Assim como Feiticeira Escarlate e Mercúrio, oriundos das páginas dos X-Men, podem habitar o MCU, a raça verde de orelhas pontudas também possui guarda compartilhada.

Na verdade, a informação foi divulgada por James Gunn ano passado. Em sua página no Twitter, o diretor de Guardiões da Galáxia 2 confirmou que a Marvel pode utilizar os Skrulls, exceto alguns bem específicos. Como por exemplo o Superskrull, que tem toda sua essência ligada ao Quarteto Fantástico. Mas o ponto aqui é que essa raça pode servir de base para o plot da Fase 4 do MCU. Quem sabe algo como a Invasão Secreta. E que ainda casa com as ideias por trás do filme da Capitã Marvel.

Na trama, publicada em 2008 e distribuída em 8 partes, os heróis da Marvel descobrem que os Skrulls estão planejando uma nova invasão em busca de uma sede para o grande império. Acontece que tal ideia não surgiu da noite para o dia. Utilizando suas habilidades, os aliens foram substituindo pouco a pouco alguns personagens estrategicamente selecionados. Quando a verdade é enfim revelada, o caos já reina absoluto. Potencializando os efeitos da recente Guerra Civil, a desconfiança paira entre os Maiores Heróis do Universo.

Trazendo para a realidade do MCU, a ideia não parece tão absurda. Brie Larson está chutando bundas alienígenas desde os anos 90, quando Tony Stark nem sonhava em virar o Homem de Ferro. Em sua batalha contra os Skrulls, ela descobre o plano de invasão, focado em substituir os humanos mais influentes do mundo. Afinal, ainda não existem muitos super heróis por aí. Derrotada, e quem sabe aprisionada, ele fica de fora de todos os eventos dos filmes. Conseguindo libertar-se, a Capitã Marvel retorna para a Terra no momento em que os Vingadores recolhem os cacos de Guerra Infinita. Trazendo consigo a grande revelação. Temos uma trama, senhoras e senhores.

Em termos mais práticos para o MCU, pode ser uma boa oportunidade de começar a encaminhar a aposentadoria de alguns atores. Robert Downey Jr, Chris Evans, Chris Hemsworth, todos eles Skrulls. Dá para brincar com a realidade de filmes e eventos passados, alterando até alguns status quo já estabelecidos. A imaginação é o limite. Ainda existe a possibilidade de adaptar a saga da Guerra Kree-Skrull, colocando a Fase 4 de vez no espaço sideral.

Óbvio que tudo isso não passa de uma ideia baseada em desejos pessoais, mas não soa tão absurda a ponto de ser descartada. Com todos esses elementos envolvidos, Capitã Marvel transformar-se no filme mais interessante no futuro do MCU. Pode ser que toda essa espera seja recompensada.

 

Patrocinado

Comentários