Desgaste da franquia Transformers pode ser amenizado com Bumblebee, que promete ser um filme menor em abrangência, só que maior na qualidade. Tudo o que Michael Bay nunca conseguiu fazer

Estamos prestes a “comemorar” 11 anos do início da franquia Transformers no cinema, e o lançamento recente do trailer de Bumblebee traz mais lamentações do que qualquer outra coisa relacionado a essa franquia. A cada novo filme, sob a batuta do explosivo Michael Bay, é evidenciado o desgaste de Optimus Prime e sua turma nas telonas.

Por que a Paramount Pictures não fez igual a Marvel Studios e estabeleceu uma mega franquia Transformers?

A culpa disso não acontecer é do próprio Michael Bay.

Coincidentemente, a Marvel, que hoje possui a maior média de bilheteria e aceitação do público pipoca nos cinemas também está com uma década de franquia estabelecida. E a diferença de repercussão é gritante: estamos basicamente há 6 anos (desde Vingadores em 2012) discutindo como seria a chegada do vilão Thanos em Guerra Infinita, algo que só aconteceu recentemente. E o hype não abaixa, já que precisamos urgentemente saber sobre a trama de Vingadores 4 e os próximos filmes depois dele.

poster de Vingadores: Guerra Infinita
Cada um desses personagens foram devidamente apresentados antes desse megaevento. Divulgação: Marvel / Disney

Essa comparação é para dizer o seguinte: a Marvel lançou Homem de Ferro, Thor e Capitão América antes de juntar sua equipe num filme só. Por mais que possamos questionar a qualidade de um ou outro (Thor, por exemplo, é um filme ruim), houve tempo de nos familiarizarmos com cada um antes de vê-los na porradaria desenfreada que se sucedeu após a tentativa de Loki conquistar a Terra. Diferente de Transformers, que começou cataclismático logo na primeira oportunidade.

Voltando a Michael Bay, pouca coisa o diretor trouxe de positivo para a franquia robótica automotiva. Você pode argumentar sobre os visuais incríveis, que foram evoluindo com o passar dos filmes, e serei obrigado a concordar (apesar de ainda não conseguir acompanhar bem as cenas de ação). Mas trata-se de uma estética sem alma, aplicada em personagens descartáveis em sua maioria. De bom mesmo, só aquele domínio logístico maluco que o diretor possui com sua equipe, conseguindo produzir (a um baixo custo) as coisas de modo eficaz para a Paramount. Nada perceptível para o consumidor final.

cena de ação em transformers 5
Transformers: O Último Cavaleiro. Divulgação: Paramount Pictures

O resultado é uma série de histórias pouco envolventes ao longo desses 11 anos, sempre se apoiando de forma preguiçosa à figura de Optimus Prime e, vez ou outra, no próprio Bumblebee ou do protagonista humano da vez. Foram tramas com a clara intenção de apresentar um enredo de perigo global, colocando em tela robôs e mais robôs sem profundidade narrativa. A falta de tato do diretor também nunca ajudou muito, basta lembrar das inúmeras cenas em câmera lenta de pessoas suadas com explosões no pôr-do-sol, por exemplo.

Esse trailer de Bumblebee mostrou que o filme pode até ser, quem diria, um Transformers bom. Apelo aos anos 80, amizade entre uma adolescente e seu robô e menos personagens para (se tudo correr bem) termos um herói desenvolvido no final. Transformers poderia ter começado assim, apresentando cada um dos principais Autobots em tramas de escala mais moderada.

É óbvio que um Autobot ou Deceptcon não possui a importância de um herói Marvel ou DC. Mas Transformers é uma franquia muito forte da Hasbro, famosa por seus brinquedos, mas também com diversas animações em série e também HQs. E o cinema possui um poder de exposição incrível, afinal, quem era o Homem de Ferro antes de Robert Downey Jr. senão um personagem B nas HQs? Hoje, a platéia no cinema vibra logo na primeira cena dele vestindo sua armadura.

Se Bumblebee vai ser, de fato, um filme de qualidade, vamos poder conferir por aqui a partir do dia 25 de dezembro. O elenco conta com John Cena e Hailee Steinfeld (aquela garota incrível de Bravura Indômita). Reveja o trailer abaixo:

Comentários