Com a consolidação da Marvel Studios, neste 10 anos de produções e a DC tentando a dura penas unificar seu universo, que tal visitarmos obras do passado e até ressentes, para vermos que o cinema já bebe da fonte dos quadrinhos há bastante tempo?

Vingadores: Guerra Infinita já está em nossas portas, faltando pouco dias para coroar os 10 anos do Universo Cinematográfico da Marvel. Mas existem outras produções longe do mainstream Marvel e DC que muitas pessoas acabam não sabendo que são baseadas em Histórias em Quadrinhos. Vamos então, fazer um copilado de algumas obras da 7° Arte baseados em obras da 9° arte.

Ghost World (Aprendendo a viver)

Filme de 2001, dirigido por Terry Zwigorff e com uma jovem Scarlet Johansson no papel de Rebecca, narra a história de duas amigas, que acabam de terminar o high school e estão inseguras quanto ao futuro, e precisam lidar com conflitos de amizades e a chegada de um estranho colecionador de discos, que acaba tendo muito em comum com umas das personagens.

Baseado na HQ homônima de Daniel Clowes (Roteiro e desenhos), a narrativa  tem algumas diferenças em relação a película, que foi adaptada com a ajuda do próprio Clowes e chegou a ser indicada ao Oscar de melhor roteiro adaptado.

Uma história sobre passagens, crescimento, e o entendimento de quem somos em uma sociedade massificada e as vezes, sem personalidade.

O Corvo (1994)

Filme estrelado pelo filho de Bruce Lee, Brandon Lee, nos apresenta em uma atmosfera gótica e lúgubre uma historia de perda e retaliação. Eric Drave volta dos mortos, para conseguir sua vingança contra o grupo de criminosos que mataram ele e sua noiva Shelly. Um dos pesos que a película carrega, é a morte de Brandon durante uma das cenas rodadas para o filme, em certo o momento da cena requeria que uma arma fosse carregada, engatilhada e apontada para a câmera mas, por causa da curta distância do take, a munição carregada era de verdade mas sem pólvora. Após a realização desta cena, o assistente do armeiro, limpou a arma para retirar as cápsulas, derrubando um dos projéteis no cano. A cena seguinte a ser filmada envolvendo aquela arma era o estupro de Shelly, sendo que a arma foi carregada com festim (que normalmente tem duas ou três vezes mais pólvora do que um projétil normal, para fazer um barulho alto).

Lee entrou no set carregando uma sacola de supermercado contendo um saco de sangue explosivo. No roteiro constava que Funboy deveria atirar em Eric Draven quando ele entrasse na sala, estourando o saco de sangue. O projétil que estava preso no cano foi disparado em Lee através da sacola que ele carregava, matando-o.

A obra que deu origem ao filme, também carrega um forte sentimento de perda, o autor James O`Barr, começou a escrever e desenhar as primeiras páginas da HQ, quando servia na Alemanha pelo exército americano, pois o mesmo se alistou após a trágica morte de sua noiva. No ano de 1978, um motorista bêbado atropelou e matou a noiva de O`Barr, e muito dessa tragédia, foi força de inspiração para a história triste e carregada de violência, servindo assim como uma forma do autor exorcizar seus demônios internos, em cada pagina.

Meu Amigo Dahmer

Em uma narrativa que mostra a psiquê densa de uma pessoa perturbada e apresentando a faceta de um dos maiores serial Killers da história, o diretor Marc Meyers adapta a HQ de Derf Beckderf, que conta a história real do quadrinista, falando sobre como conheceu Dahmer ainda no colégio.

Uma HQ pesada e cheia de uma analisa sobre Dahmer antes dos assassinatos, revelando um personagem sombrio e perturbado desde cedo. Um excelente trabalho publicado pela DarkSide Books.

Estrada para perdição

Uma excelente adaptação, dirigida por Sam Mendes e estrelado por Tom Hanks, Paul Newman, Daniel Graig e Jude Law, onde acompanhamos um mafioso e seu filho, em uma viagem em busca de vingança pela morte de toda a sua família.

Publicada pelo selo Paradox Graphic Mystery, da DC Comics, a HQ de Max Allan Collins nos roteiros e Richard Piers Rayne, é um trabalho pronto para ser adaptado, coisa que Sam Mendes fez primorosamente. Com aspectos noir, e ambientado no meio da grande depressão Americana, Estrada para Perdição é um misto de Lobo Solitário, Bonnie e Clyde e O Poderoso Chefão. Uma história poderosa, que rendeu uma excelente adaptação.

O Anti-herói Americano

Não é bem baseado em uma história em especifico, pois o filme incrivelmente estrelado por Paul Giamatti, conta a história do quadrinista underground Harvey Pekar, em um misto de adaptação de algumas histórias do autor, e narrativa documentaria, inclusive com narração do próprio Harvey, a película apresenta a vida cheia de problemas e ansiedade de Pekar, e como essa melancolia diária lhe eram combustível para seus relatos quadrinistas, que ficaram populares na revista American Splendor.

Do Inferno

Tai uma adaptação que não chega aos pés da HQ do Mago Inglês Alan Moore, que sofre bastante com as transposições de suas obras para a mídia cinemática.

Do Inferno, adaptação de 2001, dirigida pelo irmãos Albert e Allen Hughes, mostra como a  leitura superficial de uma obra densa e adaptado sem nenhum esmero, pode estragar uma boa história. Estrelado por Johnny Depp, ainda em sua fase de queridinho da América, a película em nada consegue atingir a trama cheia de referências e informações que a HQ traz. No filme, a investigação se torna insossa e sem o mesmo peso, onde o investigado é o assassino Londrino, Jack o Estripador, mas ainda diverte como filme.

Para quem gosta de referencias, textos bem construídos e uma explanação em volta de um grande mistério ainda vivo nos dias de hoje, a HQ criado por Moore e fantasticamente ilustrado por Eddie Campbell, é um prato cheio para amantes de uma boa narração pesada e densa.

Marcas da Violência

Mais uma adaptação do selo da DC Comics, Paradox Graphic Mystery, Marcas da Violência é um filme dirigido por David Cronenberg e estrelado pelo nosso querido Aragon, Viggo Mortensen, a história narra a vida pacata de Tom Stall, junto com sua esposa e família, mas o ninguém poderia esperar, é o passado sanguinária em torno de Tom, e convidados que não são nada bem vindos, podem levar nosso personagem a um mar de violência que não tem volta.

A HQ foi publicada em 1997 e é escrita por John Wagner e ilustrada por Vince Locke.

E para vocês, quais obras não tão conhecidas pelo grande públicos faltou aqui em nossa lista? Vamos manter esse post vivo nos comentários!

Comentários