Filme do diretor Dieter Berner faz sua pré-estreia nesta terça-feira, 17, no Cinépolis Iguatemi Alphaville. Após a sessão das 19h30 haverá um debate com o público

Sexto longa-metragem de Dieter Berner, 74, Egon Schiele: Morte e a Donzela terá pré-estreia nesta terça-feira, 17 de julho, com debate após a sessão das 19h30, no Cinema de Arte do Cinépolis Iguatemi Alphaville. O debate, sob o tema Egon Schiele: arte ou pornografia?, será conduzido pelo o crítico de arte Leandro Oliveira, que falará com o público sobre a vida e a obra do pintor vienense que à época, o início do século XX, escandalizou a sociedade com as suas pinturas de mulheres nuas.

O filme é uma adaptação do livro Egon Schielle – Death and the Maiden (2009), de sua mulher, Hilde Berger, 72. O sub-título refere-se à pintura a óleo sobre tela, na qual uma mulher e um homem deitam-se em uma cama. Noah Saavedra, intérprete do artista, é modelo e estreia no cinema.

Crítica Estrangeira
Um bom drama histórico que nos aproxima da vida e pensamentos de Schiele e questiona o significado da arte.
Outnow/Suíça

Egon Schiele mais do que cumpre a função em expressar ao público a vida e a obra desse pintor de renome mundial. E consegue isso com uma alegria surpreendente.
Tobias Dunschen, Critique-Film/França

A figura de Schiele é representada de forma coerente com a documentação histórica.
Roberto Semprebene, Silencio in Sala/Itália

A PALAVRA DE BERNER
Quando eu estava no ensino médio, Egon Schiele foi um “insight”. Foi incrível quando, de repente, todos os meus colegas de classe decidiram que ele era o melhor pintor de todos. Ele era o pintor da nossa geração. Eu só vi filmes sobre ele depois, e fiquei muito insatisfeito com todos. O romance de Hilde Berger e o jeito como ela abordou a figura de Egon, que sempre foi fascinante, foi o que me deu a grande dica (…) e a nossa abordagem consiste em tentar definir quais experiências nos trariam mais para perto desse pintor e nos diriam o que e o porquê de ele pintar.
Dieter Berner, cineasta

Sinopse
Viena, 1918. Egon Schiele escandaliza a sociedade com as suas obras moldadas na nudez de suas musas pelo erotismo e o sentido do efêmero. Vistas  como “pornografia repugnante”, é levado aos tribunais. As mulheres, inspirações mais significativas de sua arte, são a irmã mais nova, Gerti, e Wally Neuzil, a qual imortalizou na pintura “A Morte e a Donzela”. Foi o seu único e verdadeiro amor.

Ficha técnica
Egon Schiele: Tod Und Mädchen
Áustria-Luxemburgo, 2016.
Diretor: Dieter Berner.
Roteiro: Hilde Berger e Dieter Berner, baseado no romance de Hilde Berger.
Elenco: Noah Saavedra, Maresi Riegner, Valerie Pachner e Larissa Aimee Breidbach.
Classificação indicativa: 14 anos.
Drama histórico-biográfico. 
110 minutos. 
Distribuição: CineArt.

Serviço
Cinema de Arte Cinépolis Iguatemi Alphaville
Alameda Rio Negro, 111 – Alphaville Industrial, Barueri – SP, 06455-000
Pré-estreia com debate – Terça-feira (17/07) – 19h30
Mais informações: www.cinemadearte.com.br

Comentários