Em novembro, canal MAX apresentará filmes independentes com protagonistas poderosas

O empoderamento feminino está em plena efervescência. Com a internet, o movimento ganhou um novo alcance e visibilidade, ampliando o debate sobre a igualdade de gêneros. O ativismo de celebridades internacionais também deu destaque ao assunto, que já foi tema até mesmo de discurso no Oscar®. O poder das mulheres também está muito bem representado em produções audiovisuais e, no mês de novembro, o canal MAX vai apresentar filmes com protagonistas poderosas. Todo domingo, às 21h, o canal oferece o melhor do cinema independente internacional aos assinantes. Confira abaixo:

Na Califórnia dos anos 1970, Dorothea (Annette Bening) começa a sentir dificuldades para criar o filho Jamie (Lucas Jade Zumman), de 15 anos. Ela decide pedir ajuda para Abbie (Greta Gerwig), uma fotógrafa a quem aluga um quarto, e para Julie (Elle Fanning), uma adolescente um pouco mais velha do que Jamie. Juntas, as três lutam para criar o jovem ao mesmo tempo em que lidam com as questões do amor e da liberdade da época.

Indicado ao Oscar® de Melhor Roteiro Original, o filme repleto de referências históricas é ambientado em uma época em que o movimento feminista começava a ganhar força no mundo.  Em 1975, por exemplo, a Assembleia Geral da ONU proclamou que aquele seria o Ano Internacional da Mulher e oficializou o dia 08 de março como o Dia Internacional da Mulher. A data foi criada com o objetivo de relembrar as lutas sociais, políticas e econômicas das mulheres, além de ampliar o debate sobre as questões de discriminação e violência em todo o mundo.

Dia 12, às 21h, no canal MAX

Protagonizado por Michelle Williams, Kristen Stewart, Laura Dern e Lily Gladstone, o drama mostra como as diferentes histórias de quatro mulheres se entrelaçam de maneira inesperada quando elas tentam traçar seus próprios caminhos. O roteiro é adaptado de três contos independentes de Maile Meloy e a direção é de Kelly Richardt, famosa por levar grandes personagens femininas ao cinema.

O elo entre as personagens é a constante insatisfação profissional e pessoal que sentem. Cada uma delas busca seu lugar no mundo e cultiva o sonho de independência. Este desejo é comum às mulheres do século XXI que, cada vez mais, buscam seu espaço no mercado de trabalho, lutam por condições igualitárias e tentam romper com o estigma social do “sexo frágil”.

Dia 19, às 21h, no canal MAX

Nos últimos dias da Guerra Civil americana, três mulheres precisam defender suas terras que são sitiadas por soldados renegados, bêbados e violentos. As irmãs Augusta (Brit Marling) e Louise (Hailee Steinfeld) e a escrava Mad (Muna Otaru) se veem forçadas a pegar em armas para proteger a casa. No melhor estilo “lute como uma garota”, o longa imprime um olhar feminino sobre a guerra.

Geralmente, os filmes que retratam o faroeste comportam personagens masculinos que transbordam virilidade. Neste caso, são as mulheres que unem força e coragem para enfrentar um grupo de homens, mostrando que elas têm igual capacidade de serem heroínas.

Dia 26/11, às 21h, no canal MAX.

Comentários