Ao longo de nossa vidas, somos constantemente lembrados de que é preciso amadurecer. Isso é refletido em nossas escolhas e, consequentemente, nos resultados de tais decisões. Não sobra muito espaço para o colorido da vida, já que estamos sempre atolados de responsabilidades. Crescer é importante, mas abrir mão da magia que outrora guiou nossos passos sempre me pareceu um crime. Essa sensação aumentou depois de assistir Life, Animated.

Concorrendo ao Oscar de Melhor Documentário, Life, Animated conta a história de Owen Suskind. Aos 3 anos, ele foi diagnosticado com autismo. Desse ponto, uma vida repleta de alegrias transformou-se em algo incerto e devastador. Após várias tentativas, passando por inúmeros especialistas, o quadro de Owen apenas piorava. Porém, ele encontrava paz para sua mente nas animações da Disney. Foi aí que tudo começou a mudar.

Depois de assistir todos os filmes da Disney lançados na época, Owen tinha decorado todas as falas e passou a utilizá-las como uma forma de comunicação e expressão de seus sentimentos. Com essa premissa em mãos, Life, Animated se divide em duas partes: a primeira mostrando todos os desafios de Owen durante seu crescimento e a segunda focada em seu amadurecimento, enfrentando a dureza da vida adulta.

Baseado no livro escrito por Ron Suskind, pai de Owen, o documentário carrega uma mensagem poderosa e emocionante. A direção certeira de Roger Ross Williams é a cereja do bolo, mostrando que conseguiu captar toda a essência dessa história.

É impossível não se emocionar ao longo dos 90 minutos da produção. É delicado, mas poderoso ao mesmo tempo. O momento em que Ron conta a passagem de quando utilizou uma pelúcia do Iago (o papagaio tagarela de Alladin) para criar uma pequena conversa com Owen é de arrepiar. Assim como o relato do aniversário do irmão mais velho de Owen, Walter. Não se surpreenda se lágrimas escorrerem pelo seu rosto, apenas deixe fluir.

A forma como Owen aplica os conhecimentos adquiridos das animações é completamente inspiradora. Estima-se que existam cerca de 2 milhões de autistas no Brasil, fora os casos não diagnosticados. É um número expressivo, além de ser uma condição vista com pouco carinho pela sociedade. Life, Animated mostra também a força que uma família precisa ter para superar os obstáculos, além de todo o amor envolvido.

Talvez a palavra aqui seja perseverança. Life, Animated também destaca a importância desse universo mágico na vida das crianças. O quanto imaginar, sonhar e brincar são cruciais no desenvolvimento. A vida adulta não é um conto de fadas, mas fica mais fácil com um pouco de alegria no olhar.

Em tempos de guerra na internet, onde o cinema transformou-se em algo que divide opiniões e até mesmo afasta pessoas, Life, Animated existe para mostrar o real significado da sétima arte: vida, inspiração, emoção, sonhos e etc. Seja menos ranzinza e encare tudo isso com a serenidade de um coração infantil.

O documentário está disponível na Netflix.

Comentários