Lembra do Ashley Madson? Tem um documentário bem legal sobre o tema na Netflix

Há um tempo atrás o tema privacidade virtual era algo esporádico mas, conforme o crescimento do uso de aparelhos eletrônicos (encabeçado pelo smartphone) nosso desejo e dependência por tecnologia se tornou tão constante que hoje esse tema se tornou banal no cotidiano de grande parte da população mundial. Nesse balaio, ninguém está a salvo, sejam as grandes corporações ou mesmo meros mortais sujeitos crimes virtuais (como eu e você).

Sendo assim, o Conheça dessa terça feira traz o documentário Ashley Madison: Sexo, Mentiras e Ciberataques, expondo um marcante episódio relacionado ao tema, que foi o caso do site Ashley Madison e toda a rede da qual faz parte.

Em teoria, o Ashley Madison deveria se tratar de uma rede social de namoro on-line, voltado principalmente para pessoas que já estão em um relacionamento e foi lançado em 2001. O nome do site foi criado a partir de dois populares nomes femininos nos EUA: “Ashley” e “Madison”. Seu slogan é “Life is short. Have an affair” (A vida é curta. Curta um caso). Em resumo, um site para facilitar a traição.

O grande idealizador disso tudo se tornou uma verdadeira celebridade, ocupando cadeiras de discussões em diversos programas estadunidenses, sempre pautado pela defesa da liberdade sexual das pessoas e se afirmando como uma pessoa que contribui com a humanidade. Seu nome é Noel Biderman, e foi a partir de uma invasão ao seu site que a podridão começou a aparecer.

Inicialmente tudo aparentava ser um caso típico de ataque virtual do grupo hacker Impact Team, com direito a cenas vexaminosas da polícia ameaçando-os (fingindo assim algum controle da situação). O que se descobriu após uma série de investigações foi todo um esquema dedicado a um site não seguro (como a propaganda prometia), onde a maioria esmagadora dos perfis femininos eram falsos, além de outras mentiras e ações questionáveis por parte do site, também reconhecido por sua propagandas agressivas e ações enérgicas contra seus perseguidores na web.

Vale a pena dar uma conferida (no documentário), que inteligentemente não pende para o viés moralista ou religioso. Nesse mar de informações perdidas que vivemos, esse é dos típicos casos que acabam mostrando muito mais do que deveria (com o perdão do trocadilho) incluindo aí até ética no jornalismo. Ashley Madison: Sexo, Mentiras e Ciberataques está disponível na Netflix.

Patrocinado

Comentários